quinta-feira, fevereiro 03, 2011

"Geração sem remuneração"


Há um artigo que anda a circular no facebook e que eventualmente acabou por me chamar à atenção.

Esse artigo tem como titulo "Que parvos que os precários são!", escrito por Paula Cosme Pinto e publicado  no Jornal Expresso (online) dia 2 de Fevereiro 2011.

É um artigo que faz referência à actual juventude Portuguesa e à situação precária que esta vive, enquanto procura sobreviver num País que insiste em manter funcional um sistema insustentável! 

De há muitos anos para cá, ainda eu era demasiado novo e ingénuo para ter verdadeira noção desta problemática, já o povo atravessava sérias dificuldades no que toca a empregabilidade, formação e imposições difíceis de acarretar por parte do governo. 

É evidente que a situação só veio a piorar com o tempo, havendo cada vez menos oportunidades, mas curiosamente maior número de pessoas com acesso a educação! Não tenho números para sustentar esta afirmação, mas uma coisa é certa... pessoas formadas sem emprego não faltam! E sim... há quem diga que são os portugueses que não querem trabalhar! Que não procuram trabalho e que simplesmente se recusam a aceitar cargos para os quais são "excessivamente qualificados". Por muito válido que isso seja, e sendo do conhecimento de todos que esses casos realmente existem, não podemos fechar os olhos a tantos outros casos que dedicam uma fase importante da sua vida a obter "ferramentas" para enfrentar o mercado de trabalho, para depois não fazer proveito delas!

Não é de espantar que vejamos cada vez mais pessoas a emigrar, muitas das quais mal tratadas e ignoradas, sem ninguém para lhes dar o devido uso ou valor... e depois admiram-se! Admiram-se das dificuldades que o presente nos oferece e o futuro nos reserva...

O artigo que vos deixo à consideração... é sem eufemismos nem pudor, uma forma de tocar na ferida... fazendo uso de uma canção dos Deolinda, que à bela maneira popular, "faz barulho" na esperança de chamar alguma atenção!

Nenhum comentário: