segunda-feira, novembro 22, 2010

Música Clássica

Inspirado pelo Feople (malta responsável por um dos blogs que sigo religiosamente), decidi dedicar um post à música clássica, género de que sou grande apreciador embora não seja o ouvinte mais regular, contudo, é preciso ter em conta que por muitas influências da minha família (principalmente a minha mãe e tios) criei uma natural apetência para de vez em quando treinar o meu ouvido, enquanto me delicio ao som de grandes compositores e cantores/as...

Carl Orff, Maria Callas, Puccini, Lucciano Pavarotti são alguns dos nomes mais ligados às árias, composições e afins que me dão prazer ouvir, enquanto Bach, Mozart, Tchaikovsky, Beethoven, Vivaldi, Giuseppe Verdi, Igor Stravinsky, Richard Wagner, Chopin (tão esmiuçado pela nossa Maria João Pires) e Brahm compõem uma lista de restantes favoritos. Também é verdade que conheço muito pouco além dos nomes que aqui enunciei, no entanto, sinto-me privilegiado por ter tido algum nível de acesso a estes mestres da música enquanto cresci (embora esteja "longe longe longe" de ser algum tipo de perito... volto a repetir: sou antes um mero apreciador que peca por não lhe dar a devida atenção)

Quando ponderei em aqui escrever algo relacionado à música clássica, era única e exclusivamente para falar sobre a minha cantora preferida da área, a fantástica Maria Callas... mas esta iniciativa não se deve apenas à sua qualidade mas também por estar ligada a um dos meus momentos cinematográficos favoritos.

A minha obra de eleição desta incrível intérprete chama-se La Mamma Morta, tema este que ouvi pela primeira vez no filme Philadelphia (1993) - um dos meus favoritos - realizado por Jonathan Demme e protagonizado por Tom Hanks e Denzel Washington. (Recomendo que vejam este filme com alguma urgência e lembrem-se da referência que vos dei relativamente à entrada em cena de La Mamma Morta). Esta música, tão e somente, enalteceu todo um momento que considero um colosso do cinema em geral.  Nunca fiquei eu tão "emocionalmente desequilibrado" com uma cena de representação, tão bem auxiliada por uma voz que  conta um episódio decorrido durante a revolução francesa (no vídeo consta a tradução da letra para que tenham noção do que se trata). Tanto que é inevitável para mim não reagir de forma algo visível sempre que ouço a música.


Tendo eu aproveitado para juntar à Senhora Callas a restante elite musical... quero salientar duas composições de Carl Orff, presentes na infância/juventude de muitos de nós! Falo dos temas O Fortuna (popular no anúncio do aftershave Old Spice) pertencente à cantata Carmina Burana e Gassenhauer (presente em anúncios do whisky JB).



Nenhum comentário: