segunda-feira, fevereiro 15, 2010

Fraude

 

Antes do meu comentário quero começar por dizer que não tenho nada contra o "nosso" novo ídolo português, Filipe Pinto. Parece ser um miúdo porreiro e espero que aproveite para gozar estes tempos que se seguem recheados de mediatismo e actividades que eventualmente vão alterar a sua vida, pelo menos nos próximos anos. No entanto, se bem se lembram, aquando da sua primeira audição este disse estar indeciso com a sua participação porque tinha outras prioridades na vida, e que queria só uma opinião, etc. Enfim. Passou-se ali naquela sala um grande drama que gerou uma reacção do júri um pouco quanto bruta mas "supostamente" motivadora. "Tu sabes cantar" "Não venhas paqui perder o nosso tempo..." Tu não fechas a tampa toda" "Tu és provavelmente um dos melhores cantores que passaram aqui" dizem eles. Bem... logo aqui temos um momento televisivo onde a meu ver tornou-se óbvio duas coisas:

Este Filipe vai certamente ganhar os ídolos. Curioso o facto de ter afirmado isto meses antes da final, sem acompanhar o programa, sem ter noção da qualidade (ou falta dela) dos outros concorrentes e apenas com a visualização da audição do Filipe uma única vez no YouTube. Topei logo pelo comentário daquele júri, que embora com algumas qualificações, continuam a ser uns atrasados mentais. Depois da interpretação da música Betterman dos Pearl Jam, o comentário que se seguiu do líder do júri "Cantas melhor que os Pearl Jam" além de ser a prova (comprovada) da sua estupidez revela o pouco preciosismo que o homem têm no que toca a música. Pearl Jam é a porra da banda!!! O miúdo ali ficou a cantar acappella sem acompanhamento instrumental e não foi mais do que uma imitação do EDDIE VEDDER (não Pearl Jam como disse um dos júris).


Ficou transparente como a água que todo aquele momento, bem como o resto do programa é uma gigante encenação. Além da audição do Filipe ser completamente forçada e batida (digam-me se o que viram, fosse num filme, não seria um tremendo cliché) temos um júri que basicamente está a tentar representar! Duvido que sejam iguais no seu quotidiano como o são à frente da câmara. O estereotipo do júri está definido desde o primeiro American Idol com o bruto (Simon Cowell), a doce, simpática e única pessoa do sexo feminino (Paula Abdul) e o intermédio de ambas as personagens mencionadas mas bastante conhecedor (Randy Jackson). Em todos os países o modelo adoptado é este. Mas mesmo assim as pessoas querem acreditar que eles são assim na vida real e nem sequer tomam consciência do formato do programa, porque é simplesmente mais fácil serem alimentados com ilusões e conceitos falsos porque entretém e cria uma aura à volta daqueles que ali passam para cantar. Todos são underdogs por quem temos que torcer para que consigam provar as suas capacidades e atingir patamares mais altos fugindo das "garras" do júri, principalmente do seu líder, que no nosso caso é o verdadeiro exemplo do típico "tuga"... uma boa forma de passar a imagem do nosso País. Depois temos o King of Love, a prova mais flagrante de que estamos a levar com merda este tempo todo, desde que o programa começou. Acham mesmo que ele está ali por acaso? Pensem bem !! Então um gajo obviamente sem talento nenhum, aparentemente desequilibrado (nem venham que aquela personagem é normal) cai ali de "pára-quedas" e é lhe oferecido quase instantaneamente um lugar como entrevistador backstage? É este o gajo que querem como uma das caras do programa? Uma pessoa que "supostamente" mal conhecem, que revela uma séria pancada naquela cabeça? Querem mesmo arriscar depositar confiança com uma tarefa de peso considerável a uma "bomba ambulante" que pode explodir a qualquer momento?! POUPEM-ME ! Obviamente aquilo estava tudo mais que feito... provavelmente até devem ter havido castings para esta merda!! E se esta ideia que aqui passei não denuncia por completo, então basta saberem como é o comportamento do grande King of Love, longe das câmaras. Tive a felicidade oportunidade de o ver nos bastidores de um programa durante uns bons vinte minutos e é o tipo mais normal à face da terra, porém, no momento em que foi chamado a intervir no programa (em directo) onde estávamos na plateia, montou ali um super espectáculo que serviu para "abrir um pouco mais a pestana"!

Posto estes factos, continuemos...

Acompanhei em algumas ocasiões os Ídolos via YouTube, por curiosidade e também a pedido de muitas pessoas que queriam que eu desse uma segunda oportunidade, não só ao Filipe mas também a outros participantes. Recordo-me de ver a Solange, o Carlos, Salvador e outra miúda que agora não me recordo do nome, no entanto, a minha maior atenção recaia sob o Filipe por ter afirmado em tempos que o vencedor já estava escolhido bem antes de conhecermos os finalistas e também por haver uma enorme hype à volta dele.
O Filipe de facto tem um bom gosto musical. Escolheu sempre um bom reportório, muitas vezes ligado ao grunge e rock e por isso, tiro-lhe o chapéu. Saber escolher a música também é muito importante pois à que tomar em consideração as nossas limitações vocais e mesmo os movimento efectuados em palco ao som das nossas malhas. Músicas atractivas mas difíceis podem ser a sentença de qualquer um que por ali passe, portanto, mais um ponto a teu favor Filipe. Tiveste atenção a esse pormenor tão importante. Mas mesmo tendo em conta tudo isto, e haver mérito próprio do miúdo (pelo menos gosto de pensar assim... recuso-me a acreditar que até na escolha das canções os estúdios exercem influência), existe a componente mais forte na qual reside a verdadeira essência do concurso, o núcleo duro digamos... estou a falar da voz! Aqui lamento informar, mas de facto, tanto o Filipe como a grande maioria dos que por ali passaram não valem grande coisa! Cantam melhor que eu, isso é certo! Gostaria muito de cantar um terço dos finalistas (e não estou a ser sarcástico). Não obstante do facto de que não sei cantar, não deixo de ter ouvido, que porventura está relativamente bem treinado. Não quero dizer com isto que tenho um conhecimento profundo na matéria, mesmo tendo as minhas raízes numa família artista muito ligada ao meio musical. Nada disso. Não sou detentor da verdade universal e absoluta, muito menos numa coisa tão sujeita aos gostos pessoais de cada um, porém, qualquer pessoa com dois dedos de testa e alguma sensibilidade musical denota logo a falta de qualidade e a conjugação de vários momentos chave. Foram muitas as vezes que os ouvi (TODOS) a desafinar bastante. Nas suas interpretações curiosamente saltaram as partes mais difíceis de cantar (as notas mais altas, mais prolongadas, etc) tendo o Filipe sido mestre nesta área. Por cada vez que esperei ouvir o climax das músicas interpretadas por ele, lamentavelmente ficava-se pela parte que antecedia esse momento tão aguardado por mim. Enfim...

Potencialmente havia ali uma candidata forte (pelo menos daqueles que eu cheguei a ver). A Solange tinha vozeirão com aqueles dezasseis aninhos e arriscou sempre com músicas de estatuto elevado no cenário musical. Muito Soul, RnB... nada fácil diga-se. Mas ficou provado que no que toca a esticar algumas notas, ficava sempre "curta"... precisava de mais treino talvez... se calhar até seria dos nervos. Calculo que seja difícil para uma miúda tão nova e sem experiência em palco de aguentar uma pressão daquelas num programa com "tanta" audiência em Portugal.
Mesmo atribuindo aqui uns pontos à menina Solange, mantenho-me fiel à ideia de que temos um nível fraco de concorrentes. Já viram por acaso o American Idol? Ou o X-Factor? Acredito piamente que o mais "medíocre" da segunda fase deles fosse o suficiente para varrer o nosso "mundo de Ídolos". E não me venham com a conversa de dados geográficos. Para não comparar realidades e dimensões de Portugal com um Reino Unido ou Estados Unidos. Seria apenas mais um argumento para nos desculparmos dos nossos "short comings". É preciso manter algum nível de exigência e fugir à mentalidade que urge no subconsciente de cada um de nós quando nos lembramos que somos uns "coitadinhos" por isto ou aquilo.

Por fim, quero apenas deixar aqui bem explicito o quão triste me deixa conhecer tantas pessoas que se submeteram à experiência deste fenómeno televisivo. Não é por ser um fenómeno que deveria atrair atenções, muito menos conquistar pessoas. Tony Carreira ou Quim Barreiros embora fenómenos (e já à muitos anos) não constam na selecção musical de grande maioria daqueles com quem privo/conheço, logo, tomo por garantido que as pessoas sabem pensar por si e avaliar aquilo que "têm em mãos". É um  facto que um programa deste calibre, tão manipulado, recheado de hipocrisia e falta de qualidade acaba por servir como espelho do nosso País, que parece estar-se a  afundar cada vez mais. É na politica, é no desporto, é nos concursos televisivos... são escutas, pessoas compradas, regras de conduta ignoradas... estamos a ser completamente engolidos pelos Bin Ladens de Portugal (expressão usada como referência a outro grande "génio" que por cá andou, o senhor Octávio Machado). Que País é este onde vivemos? E o que é que fazemos em relação a isto? Que tipo de testemunho vamos passar a gerações futuras? O problema obviamente não passa por um programa como os Ídolos... ai de mim que lhe atribuísse tamanha importância, mas não deixa de ser um claro sinal do que se passa. Pode ser que até seja um preço a pagar, isto é, dado o nível de entretenimento que providencia, funciona como um escape dos problemas que temos e da crise que vivemos, mas para mim só serve apenas para nos lembrar onde é que estamos situados... Futuramente não pretendo ouvir um comentário de um amigo meu queixar-se por um grupo ser merdoso, ou porque o Toy é um bimbo e canta mal... recuso-me! Porque para o ouvir vou ter que lembrar tal pessoa das horas a fio que perdeu colado à televisão para ver mediocridade no palco a cantar. Perderam moral, valores e acima de tudo credibilidade. É como ouvir alguém que em tempos disse que Shindler's List era razoável, para depois dizer que o G.I Joe é absolutamente fantástico... 
Mais ficou por dizer, mas acho que está aqui material suficiente para vincar a minha opinião explicita sobre o programa, os seus intervenientes (estúdio, júri e concorrentes) e a sua audiência.

Espero não ter ferido a susceptibilidade de ninguém. Certamente vou levar umas quantas bocas depois disto... já conto com isso desde o momento em que martelei as primeiras frases desta minha "tese" sobre uma das maiores Fraudes televisivas a nível nacional dos últimos anos...

8 comentários:

LuisFilipe disse...

Percebo o teu ponto de vista, e acertaste ali em algumas coisas (pormenores do programa, encenações, etç). Acho que é normal em um programa isso existir porque o objectivo é entreter e gerar entretenimento (e consequentemente lucros). No entanto, não deixo de fazer um reparo (que os mais proximos de ti sabem que é verdade) que continuas a defender com muita "força" ou de maneira muito vincada as tuas opiniões, o que, por muito que sejam mais que válidas e correctas (nao dizendo com isto que concordo 100% com o que disseste), passa um pouco a imagem de que és um critico super conceituado e com um nível que te permite falar com alguma "superioridade" (mais uma vez, faço nota que sei perfeitamente que não é isso que és nem que estás a querer passar. E dizes no próprio texto isso, no entanto o peso que dás ás palavras, ás tuas opiniões, ás tuas descrições, pode dar a entender isso). És sem duvida bastante culto musicalmente, cinematograficamente, e acima de tudo tens atitude, defendes o que gostas e exprimes a tua opinião. Continua no meu top de visitas este blog. Fica só o reparo ;)

Madalena disse...

eu gostei do que escreveste. é perfeitamente legítimo e relevante.

as pessoas gostam de ver os ídolos, para mim mete-me medo que assim seja, mas realmente vejo que aquilo mexe com elas de uma maneira que nem eu consigo compreender. talvez por ser algo que encaixe com o gosto musical que têm ou porque gostavam de saber cantar e não sabem. anyway, who cares.
o facto é, e tu próprio escreveste isso nas entrelinhas, as pessoas não têm muita cultura musical. não têm noção do que é uma voz espectacular and its wonders. por isso é normal que algo como os ídolos, que têm uma qualidade musical medíocre-baixa, venda. faz sentido. e digo-te, quem ganha com essa mediocridade é a televisão (a tvi nada nela).
o único problema é que como não se prevê que as pessoas aprofundem os seus gostos, e falo em cultura no geral, nunca iremos assistir a um programa com verdadeira qualidade. com pessoas que percebam realmente daquilo. seria dar pérolas a porcos.

Jika disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jika disse...

Apesar de gostar do Filipe e de ter ficado contente por ele ter ganho, existe aí mta coisa (para nao dizer mesmo mta coisa) que concordo ctg...

Qdo vi esse teu comment no facebook decidi logo vir ler, pq tinha quase a certeza q tinhas escrito alguma coisa boa (concordando ou não ctg).

Em relacao aos concorrentes tens mais q razao, segui durante anos o X-Factor e o American Idol e nenhum dos nossos tinha sequer potencial para chegar a uma gala deles (tirando se calhar a Diana... Apesar de torcer smp pelo Filipe acho q ela era capaz de ter perfil para la ir).
Mas continuando, fui ao casting deste idolos com uma amiga minha, (sei q por ser minha amiga posso estar 'biased'), mas.. A miúda canta MESMO bem! Bem q dói, e q chegava tranquilamente ao nível de um X-factor ou American Idol! Resultado: Passou até aos 50 finalistas, mas desdo início q um dos júris disse q ela n tinha o look q eles procuravam (tradução = N usava a perna ao léu com uma grd mini-saia, n era uma rockeira vestida de cabedal, nem cantava musica pop!) Escusado será dizer q ficou por aí... Logo aí percebemos q tipo de concurso ia ser! E aconteceu com ela, como com muitos outros q cantavam igualmente bem! (Inside gossip: Houveram alguns concorrentes q chegaram ao programa e q desafinaram q foi uma loucura nos castings... Nós vimos isto? Claro q nao! Pq o júri gostou deles, por motivos inexplicaveis, mas n interessava mt mostrar q a voz n valia nada!)

Em relacao ao king of love, tb estavamos lá qd ele foi aos castings e n ha comentario possível! Nem desse, nem de uns quantos q claramente foram escolhidos a dedo para serem os 'rejeitados' lá do concurso! (Havia lá um tipo vestido de jardineiras, sem dentes, podre de velho q parecia de outra dimensão... Achas q ele foi lá parar pq achava q cantava bem??? Hhhhmmm...)

Em relação ao programa, vi muitos e gostei, pq era sem dúvida uma boa maneira de chegar ao final da semana e ir dormir com a cabeça vazia, sem pensar em nada... Até cheguei a ir lá assistir e diverti-me muito! MAS, não comparo sequer ao entusiasmo q tinha ao ver um X-Factor, pq um é um programinha e o outro e um programao!

Lol, ja nem sei pq comecei a comentar aqui no teu blog, n e nada o meu genero... Ainda vou ler isto e nada vai fazer sentido, mas pronto, aqui fica a minha opiniao! Beijinhos

André disse...

Viva grande D.! Primeiro, deixem-me discordar do comentário do LuisFilipe. Nao acho que o Duarte passe a imagem de ser supra-sumo quando aquilo que ele defende é sustentado por argumentos construtivos (válidos ou não, mas aí já é outra discussao. Discussao e batalha de argumentos e nao discussao de atitude é mais importante, julgo.) Mas enfim, isto tb nao interessa nada como já dizia a outra.

Bem, mas isto nao quer dizer que nao tenho umas certas reticiências ao teu post amigo D. Nao quanto ao conteudo do mesmo, que concordo, mas à mensagem global. Isto é, qual é a novidade? Tu, tal como eu, só por acaso estudamos no mesmo curso, logo, quer dizer, isto é o pão nosso de cada dia. O ídolos, que eu saiba, assim como qualquer outro programa televisivo tem como objectivo máximo ENTRETER e não pretende ser rigoroso ao nível musical que tu sugeres. Ou seja, escreveste muito D. mas querias dizer o que afinal? Pa, li um pouco na diagonal o teu post confesso, mas admito que falaste muito sem no final eu entender bem o que afinal pretendias. O ídolos tem audiência. E é isso que se quer meu amigo. Quer o juri seja atrasado mental ou nao. Isso que se foda, desculpem-me. A televisao é lixo, é tudo uma tanga, e o ídolos sim (e como vês tou a concordar contigo a 200%) é lixo. É uma tanga. Voces lembram-se do Fiel ou Infiel? Aquela merda horrorosa? Pois bem, eu via isso. Porque? Porque era tao ridiculo, que via. Se calhar o que é idiota e ridiculo suscita o meu voyeurismo, e pois bem, eu via esse programa. Nao tenho problema em admitir. O idolos é um -show- e serve esse proposito. Nao serve o proposito de ser um programa que verse sobre a musica de forma rigorosa.

CONCLUSAO: nao me entendas mal amigo D.: Eu CONCORDO contigo! A cena é, tas a ver isso sob o teu ponto de vista PESSOAL. Mas isso nao interessa nada! Sob o ponto de vista TELEVISIVO o idolos está lá! Ou nao?! LOOL Nao sei se me estou a fazer entender :(

Cabe agora a cada um de nós filtrar e acima de tudo interpretar o lixo e o show televisivo que todo o dia assistimos na TV. Mas repara, tu falas do idolos, mas nem é preciso ir tao longe. Basta ir para conteudos supostamente mais serios, como os telejornais, e, no meu entender, aquilo tem tanto de lixo e SHOW como tem o idolos. Desculpa, mas em planos diferentes porventura, mas considero que na escala de lixo e show estao ao mesmo nivel. Para mim é tao degradante ver um juri idiota no idolos como é passar vezes sem conta pessoas esfodaças no haiti só porque sim. Isso é show jornalistico na minha opiniao. Lamento. É a minha opiniao. E so dei um exemplo do haiti... ha tantos outros. Lol.

Duarte, um grande abraço meu. Continua a opinar e postar. Isto tá animado, dont stop now :p

abraço,
Fiuza

D.M disse...

André, mas deixa-me só te chamar à atenção o seguinte. A minha escolha de criticar "Os Ídolos" em prol de outro programa referenciado como lixo deve-se pelo seguinte:

Os Ídolos têm um enorme potencial de fazer nascer "astros musicais" à semelhança do "Festival da Canção" ou "Chuva de Estrelas"... programas estes que contribuíram com alguns músicos de qualidade para a nossa cultura musical. Depois tens que tomar em conta que os Ídolos lá fora (EUA por exemplo) além de todo o espectáculo que montam, no final do dia realmente apresentam-nos várias alternativas com imensa qualidade, ou seja, basicamente aquilo que vendem (ao contrário do que é feito cá) é bom. Cá o produto vendido é mau! Percebes a diferença? Repara como o mesmo programa exerce diferentes tipos de causa/efeito mediante o País onde é exibido. Portanto podes concluir que embora a critica esteja subjacente a tudo o que é lixo televisivo, seja cá ou qualquer lado, a verdade é que incide principalmente sobre o NOSSO programa e a qualidade de critérios/funcionamento na exibição de "shows" na televisão portuguesa. (só para que não haja mal entendidos, EUA transmitem imenso lixo, mas no que toca a programa tipo Ídolos ao menos encaram com alguma seriedade a responsabilidade que têm em escolher alguém realmente BOM)

D.M disse...

Para não falar do facto que os programas de que te referes não têm tanta audiência quanto isso junto daqueles que conheço, e mesmo que hajam amigos nesse grupo de espectadores, desde logo referenciam-se a tal atrocidade pelo conteúdo fútil, idiota e pouco pertinente (ou seja assumem q é merda), ao contrário aqui dos ídolos onde maioria encontra-se neste momento "nas ruas a festejar" a vitória do Filipe enquanto afirmam que ele é uma estrela de nível mundial. Percebo que se fale do pontapé do Marco tendo em conta o contexto... falar-se desta forma com tanto encanto e admiração por um vencedor franquismo que a única coisa que demonstra é que temos fracos candidatos (as in parece que em Portugal ninguém canta melhor que aquilo) é simplesmente triste.

André disse...

Ok. Agora, pelo menos na parte que me toca, fiquei a entender melhor a tua posiçao relativamente a este tema. Ou seja, parece-me entao que os idolos norte-americanos sao como que uma excepçao, e que por acaso ate levaram aquilo a serio ao ponto de podermos considerar serviço público (?).

Faço um ponto prévio que é: desconheço os idolos nos USA e posso dizer que raramente ou nunca vi esta ediçao dos ídolos cá em portugal. Its just not my type.

Mas entao parece-me, segundo o que apresentas, que o nosso "ídolos" é uma sombra do programa exibido noutros paises, nomeadamente nos USA.

Nessa medida, lamento que assim seja e percebo entao o teu desabafo e críticas para com o nosso programa. Mas não deixo de lembrar o nível baixo da nossa TV, pelo que é dificil que programas com outro tipo de qualidade consigam vingar no panorama nacional. E até temos alguns com qualidade. Mas nao dao dinheiro... chapéu. É a lei do mercado.

Contudo, agora fiquei esclarecidíssimo Duarte!

Um abraço ;)