domingo, maio 23, 2010

Salt Peanuts, Salt Peanuts!

(Dizzy Gillespie)

Nunca me hei de esquecer a primeira vez que vi The Cable Guy (1996) com o Jim Carrey. 
Tinha eu 11 anos na altura. Fui ao cinema no Cascaishopping atraído pelo facto que o filme era protagonizado por Carrey, que recentemente fizera The Mask (1994) e Dumb & Dumber (1994), outros clássicos da minha infância. 

Não fazia ideia de que se tratava O Melga (titulo português), nem que era realizado por Ben Stiller ou que estava cotado como uma comédia negra. Com 11 anos, embora já fã da 7º Arte, o meu conhecimento cinematográfico encontrava-se na sua fase inicial de expansão. Enfim, sem querer falar muito do filme porque não é essa a intenção do post, posso-vos dizer que saí extremamente irritado da sala por causa da personagem principal. Ri em grande parte do filme, mas também me agarrei à cadeira de raiva porque como o titulo português bem indica, Jim Carrey era uma grande melga! Com outros olhos, hoje digo que foi de uma extrema eficiência, pois era mesmo a sua intenção. Puxar pelo riso através de muitas cenas insólitas e provocar o espectador através da "falta de noção" em proporções exacerbadas .

É consideravelmente uma das minhas grandes referências do cinema, sendo incompreendido por muitos por não estarem acostumados a ver Jim Carrey neste tipo de papel, onde em prol da comédia "casca de banana" é retratado um homem paranóico, desequilibrado e até perigoso. 

Um dos momentos neste filme que recordo com maior agrado é a acção desenrolada na casa de banho de um restaurante, onde a personagem de Carrey desencadeia uma cena de porrada com outro homem. Essa cena foi acompanhada ao som de Salt Peanuts, um dos grandes temas de jazz, composto pelo grande (e um personal favorite) Dizzy Gillespie. E pronto, depois de muita escrita desnecessária chegamos à verdadeira essência desta partilha hoje. Dizzy Gillespie! Quero aqui partilhar esse grande tema, que hoje ainda ouço com regularidade, acompanhando-o com um scat mal feito, mas sincronizado com todas as notas soltas daquela trompete. Além da música, deixo também a cena do filme que me levou a apaixonar por Salt Peanuts...



Um comentário:

Madalena disse...

deste-me vontade de voltar a ver o filme :)