sexta-feira, junho 11, 2010

Viva Portugal !




Ontem 10 de Junho, dia de Portugal, celebrou-se esta data histórica em grande estilo, ao som de rock Português representado pela editora Amor Fúria,  nas bandas Orphelia, A Matilha, Os Capitães da Areia, Os Golpes e Feromona.

A faculdade do Técnico acolheu o festival juntamente com um "número simpático" de pessoas que quiseram  marcar presença, mesmo tendo em conta as condições atmosféricas. Num dia cinzento como aquele, nada melhor que um evento musical para dar cor e alento, num espaço já improvisado para evitar a falta de condições ao ar livre. 

Na expectativa de ver Os Golpes (grupo que tenho ouvido e comentado com regularidade)  pela primeira vez ao vivo, vivia um misto de alegria e ansiedade, que se traduziram num grau de excitação juvenil. Contive-me da forma mais moderada possível, mas já projectava na minha cabeça uma noite especial, e isso meus caros, contribuía para um estado de espírito fortalecido pela aura jovem instalada.

Enquanto não entravam em cena aproveitei para comer "a bela da bifana" acompanhada por uma "jola", num "pack promocional" de 2 € (grande ideia malta!), sempre com o meu grupo por perto em conversas animadas. Nisto reencontrei pessoas e conheci outras quantas, tudo de "braços dados" com o mesmo propósito e paixão pela festividade e animação cultural.

Vivia-se um bom ambiente... 
Diria ambiente quase de Verão, tal era a chama acesa que iluminava aquele espaço subterrâneo, tal era o calor que puxava a cerveja, tal eram os sorrisos espalhados pela pista, tal era a força predominante em cada passo de dança, em cada salto, em cada "moche"...

Com o decorrer do tempo e as mudanças de banda (confesso que só comecei realmente a prestar atenção a partir dos Capitães da Areia) a intensidade crescia! As cabeças, que de abanões discretos passaram para movimentos efusivos cedo se converteram em algo mais... isto durante os Capitães que aqueceram  a plateia com músicas mexidas, algumas das quais evocavam aquele "skazinho" assente em alguns temas dos Vampire Weekend.

Mas foi com a notória entrada d'Os Golpes, momento tão aguardado por mim e certamente por muitos outros, que a noite ganhou outra dinâmica. Deram o mote para uma reacção fortíssima do público que cedo se fez ouvir e sentir! Braços esticados no ar, "palmas" sincronizadas, crowd surfing, vozes em sintonia que entoavam letras de Portugal e onde se dançava "folclore disfarçado de rock n roll". 

Inacreditável ouvir Marcha dos Golpes; Tarde Livre, Parte I; O Arraial ou Embarcadiço (só para citar alguns dos meus temas favoritos) e assistir à explosão sensacional de um coro que "gritava" em plenos pulmões "Somos Jovens" como se não houvesse amanhã. Infelizmente falhou uma das minhas malhas predilectas (Tarde Livre, Parte II) e tendo em conta que faltava os Feromona tocar, não houve direito a encore. Mas já me dava por satisfeito... teria pago mais pelo bilhete de admissão se fosse preciso para assistir a este concerto épico!

Por fim o cabeça de cartaz, Feromona. Sem conhecer muito do reportório da banda (meramente ouvi o último álbum) demorei a entrar no ritmo, muito por falta de entrosamento, contudo, era uma questão de tempo até que fosse contagiado pelas pessoas à minha volta que sabiam de uma ponta a outra todas as músicas ali tocadas. Diverti-me... cantei, saltei até não ter mais força... mas depois do concerto d'Os Golpes... a coisa soube a pouco! Não por culpa dos Feromona, que deixaram boas indicações (ganharam mais um adepto) mas porque Os Golpes fizeram questão de sentenciar "tudo e todos" que viessem  tocar a seguir...

Claro está... partiram a loiça toda!!

Um belo dia de Portugal

2 comentários:

Joaquim Quadros disse...

Los fucking guelpes!

Filipe Tavares disse...

Faltou referir a parte em que o vocalista dos Feromona levou com o microfone na boca enquanto cantava depois de um moche mais descontrolado. Foi aí que surgiu o "pausa" gestual no meio do moche. Mas foi do camandro já espero pelo próximo 10 de junho.