domingo, dezembro 06, 2009

Let the Grey's begin...





Pois é! Já tinha lançado a premissa de que iria iniciar uma nova caminhada no que toca às séries televisivas. Nova caminhada porque decidi ver algo bastante diferente do que estou habituado. Essa série, como o título deste post sugere, é Grey’s Anatomy, série esta que recai sobre o dia-a-dia de uma equipa de internos num hospital em Washington. Por outras palavras estamos perante um programa televisivo de médicos. O conceito não me é estranho, visto que durante alguns anos acompanhei esporadicamente uma série chamada E.R mais conhecida em Portugal como Serviço de Urgência (deixo-vos um auxiliar de memória mais prático: lançou a carreira de George Clooney). Mas porquê uma mudança “radical” dado que acabei de sair de uma sitcom (Friends) e tenho outras “1001” séries pendentes para ver (casos de Lost, How I Met Your Mother, Entourage, Heroes, Family Guy)? A verdade é que eu gosto de me manter ocupado enquanto as temporadas das respectivas séries que mencionei acabam, pois sou impaciente e prefiro ver tudo seguido do que ter de esperar uma semana para ver apenas um episódio. Evidentemente com este acumular de séries já se torna mais difícil fazer uma gestão própria do tempo e conteúdo, até porque vivo mais para o cinema do que para a televisão, mas Grey’s Anatomy fazia questão de ver. Não é devido à popularidade crescente em Portugal. Sempre achei que o seu factor de sucesso residia principalmente nas raparigas, logo, tornando Grey’s na minha óptica um “programa de miúdas”. Este preconceito foi rapidamente ultrapassado, por ser muito aberto a todo o tipo de artes independentemente da “etiqueta” que colocam seja no género, sexo, faixa etária ou raça. Mas foi principalmente a influência de uma pessoa com quem privei durante muito tempo que me levou a investir na série e curiosamente numa altura onde já não “estávamos juntos” à bastante tempo. Era assunto de conversa recorrente, eram vídeos postados no facebook milhentas vezes, até era razão pelo qual não podíamos falar porque estava ocupada em casa a seguir mais um episódio que aparentemente deixava sempre uma marca. É inevitável que esta junção de coisas com que vivi de perto, viesse a despertar alguma vontade para tentar decifrar o que é que a série tinha de tão cativante. Aliás, já me sentia completamente aliciado por pequenos momentos que via nos tais vídeos de que mencionei. Pouco a pouco já topava algumas coisas da storyline e até já me identificava com um ou outro aspecto. Comecei a ver e… so far so good… estou a gostar bastante desta introdução às personagens e ao contexto vivido dentro e fora daquele hospital. Lamento apenas uma coisa… numa outra altura gostaria de poder partilhar aquilo que vejo com a pessoa que me “ensinou” a gostar de Grey’s…

4 comentários:

Renata SSilva disse...

Fico contente por alguém te ter "chamado à atenção" para esta série.
Grey's Anatomy, como muitas outras séries e filmes, tem à partida, uma ideia subjacente de ser uma série de e feita para miúdas, fenómeno muito usual nos dias que correm.
No entanto, esta série acaba por ser, temporada a temporada, episódio a episódio, o relato da vida de médicos e estagiários, doentes e famílias que se unem (ou separam) nos momentos mais difíceis.
As histórias são verídicas, acontecem todos os dias, aos outros, a quem nos está próximo ou mesmo, a nós próprios. São inúmeros os acontecimentos que em Grey's Anatomy acabam por ser contados e com os quais nos identificamos.
A que se deve o enorme sucesso em Portugal? São inúmeros os factores que podemos apontar, o drama, a intriga, o real vs ficção, mas acredito que o elenco, tanto as mulheres como os homens(claro!), são elementos fundamentais para a popularidade crescente de Grey's Anatomy.

Anônimo disse...

Por muito que ache óptimo enveredares por Grey's Anatomy (sou viciada, é daquelas séries que todas as semanas vou ver o último episódio que saiu), não deixes de ver as outras que mencionas. Sobretudo How I Met Your Mother. E se acabaste agora FRIENDS (?) - para mim das melhores séries de sempre - vais adorar HIMYM.

Bjs Cairs

Quanto a Grey's, aviso-te te já. If you let the Grey's begin, you won't be able to come out of it. :)

D.M disse...

Renata concordo plenamente contigo e já tinha essa noção bem antes de ver Greys porque como referi, já estava familiarizado com o conceito. Catarina, "Friends" como explico num post anterior é uma série que sempre vi desde miúdo, mas nunca segui com afinco no sentido em que não via de forma cronológica. Entretanto fui adiando e adiando porque tinha mil séries pelo meio e como podes calcular, é complicado conseguir seguir tudo ao mesmo tempo. How I Met Your Mother não te preocupes que vejo tudo! É engraçado porque o conceito é muito semelhante a Friends, aliás, eu digo que HIMYM é uma fusão de Friends com Family Guy haha. Não deixo escapar nada. Greys até ao momento tou a gostar bastante (no surprise there). Já comecei a 2º season!

Anônimo disse...

Gosto do conceito de fusão FRIENDS e Family Guy! lol! só li o teu post de friends depois de fazer o comment... vai dando notícias de grey :P e vou checando o blog, tou a gostar!

Bjss cairs