quinta-feira, dezembro 03, 2009

F.R.I.E.N.D.S



Ontem acabei de ver a série Friends. O trabalho de dez anos, traduzido em dez épocas que vi talvez em dois, três meses! Naturalmente, podemos deduzir que para se ver dez épocas em tão pouco tempo, é porque foi criado uma afinidade com a série de tal forma, que levei dias a ver vários episódios. Confesso! Realmente ficava uma a duas horas por dia a ver vários episódios, o que me levou a despachar a série num instante. Por cada episódio são vinte minutos, minutos estes que são quase como uma droga... digo isto porque a série é viciante.Não digo que seja uma coisa no qual não me consiga controlar... nesse caso o melhor exemplo para isso seria um programa como Lost. Mas é de tal maneira uma série leve que proporciona bons momentos que é dificil parar de ver. A verdade é que eu sempre gostei de Friends, mas de uma maneira bastante passiva. Isto porque conhecia pouco do programa pois apenas via episódios que davam na televisão. Na altura quando a série surgiu tinha pouco interesse em seguir os episódios de forma cronológica dado ao facto de que pensava não haver qualquer tipo de ligação. Com o tempo e à medida que fui crescendo, o meu interesse por séries desenvolveu (como desenvolveu com todos nós pois esta febre das séries é relativamente recente) e comecei a aperceber-me de que era necessário seguir uma linha narrativa para conseguirmos ter uma percepção total da história. No entanto, tal ideia não ficou totalmente patente com todos os programas, isto porque no caso de Friends bem como outras séries televisivas, nomeadamente no campo da comédia (sitcom's), achei que os episódios fossem independentes uns dos outros. Idiota como sou, aceitei isto como um facto e basicamente perdi anos a fio sem seguir Friends de uma forma mais digna. Com o tempo, após tomar conhecimento do meu erro "fatal", prometi que viria Friends de uma ponta a outra assim que conseguisse encaixar esta sitcom no meio das outras milhares de séries que andava (e ando) a ver. Como só gosto de seguir uma época a partir do momento em que esta acaba (não tenho paciência para esperar uma semana para ver apenas um episódio), enquanto uma série não dava a sua época corrente como terminada, aproveitava para ver outras. Uma vez que comecei a ver Friends, voltei-me a apaixonar por personagens que acho fantásticas e a dar uma segunda oportunidade a outras personagens que pensava não gostar. Ross é uma delas. Interpretado pelo actor David Shwimmer, Ross é uma personagem do qual eu não gostava. Não sei explicar porque, mas de certa forma embirrava com ele e mesmo com os avisos de vários amigos meus alertando-me para o quão engraçado era, simplesmente não aceitava. Inevitavelmente, aquando do momento que comecei a ver a primeira época, não demorou muito até que ficasse completamente rendido a este senhor que quase (QUASE!) meto no mesmo patamar que a minha personagem favorita, Chandler, desempenhado por Matthew Perry. O resto do elenco é simplesmente perfeito. O pessoal que andou a fazer o casting sabia bem o que estava a fazer. Denotamos no grupo uma química especial que faz com que gostemos de cada um à sua maneira. Fora do programa também ficou para a história a "família" que formaram dado o grau de amizade que tinham uns pelos outros. Relativamente à série e aos momentos proporcionados, posso dizer que foram 20 minutos aos poucos que fizeram com que épocas mais "sinistras" da minha vida parecessem menos problemáticas do que eram... dado que conseguiam fazer-me desligar da minha realidade, bem como por vezes ensinar-me umas boas lições de vida, fosse no campo pessoal ou profissional. É inevitável que hajam aqueles momentos onde por vezes nos associamos em qualquer série ou filme e mesmo tendo em conta de que se trata de um programa humorístico, é certo que mesmo com um toque de comédia, são abordados assuntos sérios que surgem no "quotidiano adulto". Agora... posto F.R.I.E.N.D.S de parte, enquanto as minhas outras séries não acabam as suas respectivas seasons, sigo para uma nova aventura... bastante diferente do que me tenho habituado ultimamente...

Nenhum comentário: