quarta-feira, março 10, 2010

John Hughes (1950 - 2009)



Que momento perdi eu na cerimónia dos Oscars! É o que dá não assistir ao evento na integra e conformar-me com o compacto! Felizmente para mim, a Time Magazine disponibilizou um artigo no qual foram eleitos os Top Ten Moments da entrega este ano. O tributo ao falecido realizador/argumentista, John Hughes (faleceu em Agosto de 2009), foi destaque, sendo que não poderia deixar de concordar com esta sentida homenagem por parte da Academia and it's peers ao que foi uma das pessoas mais influentes na exploração da mentalidade e quotidiano adolescente  integrado no âmbito cinematográfico. Possuidor de um conjunto de qualidades que o fizeram um dos realizadores mais respeitados na indústria (sem nunca ter ganho um Oscar) e com um leque de filmes que ao longo dos anos ascenderam a um estatuto de culto entre várias gerações, é com muita pena que concretizo na minha cabeça o facto de que falta nos dias de hoje alguém com a sua visão e talento para exercer o mesmo tipo de influência nas nossas vidas que Hughes fizera no seu tempo. Apesar de tal, sou testemunha do poder que as suas obras ainda exercem, apesar de estar "fora do seu tempo", pois mesmo com o passar dos anos, a mestria de Hughes é revelada através da intemporalidade que este deposita naquilo que faz. Filmes como Sixteen Candles (1984) , The Breakfast Club (1985), Ferris Buller's Day Off (1986), Planes Trains and Automobiles (1987), Home Alone (1990), entre muitos outros na altura aclamados pela audiência, são hoje considerados clássicos.



Deu vida a um dos grupos de actores mais populares da história conhecidos pelo nome de Brat Pack, tendo sido responsável em grande parte pela carreira de muitos que por força da sua linha de trabalho e acima de tudo, pelo tipo de mentor que John Hughes foi, foram reconhecidos por mérito próprio passando a  barreira da faixa etária criando uma onda de amadurecimento entre eles.
Tenho a felicidade de ter em minha posse muitos dos seus filmes, alguns versão de coleccionador que me proporcionam memórias e momentos inéditos nos bastidores do realizador e aqueles que privaram com ele.

Fica aqui o tributo feito na cerimónia, com introdução de Molly Ringwald e Mathew Broderick, seguido depois da aparição em palco de alguns dos membros do Brat Pack: Andrew McCarthy, Judd Nelson, Ally Sheedy e por fim o menino dourado Macauly Culkin.


Nenhum comentário: