segunda-feira, março 08, 2010

"Oscars 2010" : Fez-se Justiça






Ontem na cerimónia dos Oscars, depois de muita especulação, fez-se justiça. Prevaleceu a arte do cinema e todos os seus componentes mais relevantes em prol dos mecanismos proporcionados pela a tecnologia avançada, área esta dominada sem contestação pelo filme  Avatar (2009) de James Cameron. Houve de facto muita discussão relativamente a quem deveria ganhar a estatueta, sendo que a grande maioria - ou melhor a "massa popular" - apontava Avatar como o grande favorito. From the get go nunca percebi o porquê disto. Achei que era demasiado evidente que a obra que levou 13 anos a fazer apresenta-se bastantes lacunas, que eventualmente fariam que o filme não tivesse argumentos suficientes para ganhar o respeito e estatuto que uma obra merecedora de Oscar deveria ter. No entanto, após a entrega dos Globos de Ouro fiquei com a  sensação que havia esse risco de um filme como o Hurt Locker (2009) ficar por terra por causa de uma longa-metragem onde claramente os seus trunfos residem na parte técnica. Don't get me wrong! Gostei bastante do Avatar, mas pela experiência cinematográfica que foi. Estou totalmente de acordo que é um trabalho que certamente será um marco for the ages pelo o investimento e trabalho depositado, bem como pelos recordes que bateu, porém, pouco mais valerá além disso. Nunca... MAS NUNCA (!) um filme com uma história fraquissíma e batida, com diálogos de meter dó, sem qualquer tipo de representação acima da média (por parte de um elenco que até é bom) pode ser considerado FAVORITO a um Oscar. Predominam os "efeitos especiais/imagens3D/Bonecos Virtuais" abdicando por completo de uma linha narrativa que ofereça algum estimulo ao espectador, que facilmente se deixa encantar pelo mundo fabuloso que James Cameron criou na sua mente. Dou-lhe o devido mérito nesse campo, pois creio que existem poucas pessoas com essa capacidade criativa. Mas será suficiente para lhe conferir um lugar nos melhores filmes de sempre?

Um exemplo que me vem à memória (que poderá ser parvo e até mal fundamentado, but that's what i got right now) por causa desta questão, bem como os componentes tecnológicos e o nível de criatividade é a saga Star Wars de George Lucas. Têm noção que o primeiro filme desta saga foi feito em 1977? Onde os recursos tecnológicos e financeiros escasseavam comparativamente aos dias de hoje ? E já tomaram em conta o elenco? A história ? O mundo proveniente da cabecinha genial do Sr. Lucas? Mas foi o Star Wars vencedor de algum Oscar  além do campo técnico? Não! Claro que o trabalho foi reconhecido com nomeações e a concorrência era temível na época, mas o que quero provar com este ponto é que a fusão de todos os elementos que fazem um filme, é que lhe conferem o estatuto de culto e o selo de qualidade que o tornam intemporal e um potencial candidato a um prémio desta dimensão, e hoje em dia, temos um filme como o Avatar, a anos de luz de Star Wars, que basicamente vive à pala de "computadores" para ser considerado como um favorito. Não faz sentido na minha cabeça e pelos vistos também não deve ter feito no painel de júris da Academia, que acabam com a noite de ontem de restaurar a minha fé no sistema e no bom discernimento desta cerimónia. 

Peço desculpa aos que depositavam esperanças nos "bonequinhos azuis", mas tenho-vos a dizer que precisam de trabalhar para eventualmente ganhar some perspective relativamente ao que é o cinema e desenvolverem uma maior capacidade de bom senso, porque no que toca a este assunto, esteve-vos em falta. Sei que estarei porventura a ser um pouco bruto e arrogante nas minhas insinuações, mas defendo vincadamente esta opinião em particular por-me estar entalada à séculos. Precisava apenas da confirmação da Academia para obter uma lufada de ar fresco e não pensar que tinha tudo perdido a cabeça. Vocês certamente conhecem essa sensação... de ouvir conversas ou lerem opiniões de pessoas que aparentemente só mandam "bitates" acerca de tópicos que na verdade nada sabem. É complicado abster-em-se por vezes, certo? Difícil evitar  fazer correcções ou de "atirar" pontos-chave para cima da mesa de forma a talvez proporcionar uma outra linha de raciocínio... 
Pois bem, é exactamente o que aqui estou a fazer para todos os que na eminência de assistirem à entrega dos Oscars terem achado um ultraje o Hurt Locker e a sua realizadora terem levado o prémio para casa.

Não foi por acaso que no meu post, onde revelei as minhas escolhas cinematográficas e musicais de 2009, coloquei o Hurt Locker como melhor filme do ano, sem sequer imaginar para que categorias seria nomeado em eventos como os Oscars, BAFTAS, Golden Globes, etc. É de facto uma obra de arte manuseada com excelência por parte de uma realizadora que até então apresentara um "currículo" interessante mas longe do patamar estabelecido com este seu último filme. Desde a história e a sua abordagem, à realização, diálogos, direcção de actores e a suas respectivas (impressionantes) representações o filme roçou a perfeição! Jeremy Renner, então desconhecido para mim, cativou-me desde o seu primeiro minuto no ecrã e Anthony Mackie apenas comprovou a opinião que já tivera formulado sobre ele. É sem sombra para dúvidas um excelentissimo actor que apenas peca pelas participações em alguns filmes de fraca qualidade. Se é má gestão de carreira ou falta de oportunidades, não sei... mas que neste filme demonstra o seu valor... ai isso demonstra! Mesmo na parte técnica (Efeitos especiais, som, etc) apresentou-se em muito boa forma, tendo inclusive ganho em algumas destas categorias. Fico feliz por este filme ter obtido o seu devido reconhecimento, que mesmo lutando contra "a frequência com que o tema Iraque é discutido e representado em filmes", consegue demonstrar uma forma fresca e original de efectuar uma abordagem sem precedentes.

Relativamente às outras categorias de maior destaque, posso dizer que na minha óptica não houve surpresas além do Oscar para Melhor Filme Estrangeiro. Sem ter visto nenhum dos candidatos, não posso opinar de forma precisa, porém, tinha a ideia de que o vencedor da noite seria Das weisse Band - Eine deutsche Kindergeschichte (2009) - O Laço Branco em português - de Michael Haneke. Tal não aconteceu, tendo a estatueta ido para a Argentina, pelo filme El Secreto de Sus Ojos (2009) de Juan José Campanella.
Para uma apreciação mais geral de alguns dos vencedores da madrugada de Segunda-Feira, podem ver o meu post sobre os Golden Globes que basicamente consistem nos mesmos nomeados e vencedores.

Nenhum comentário: