sábado, outubro 09, 2010

Best piece of advice i've heard...



 It all comes down to a simple choice really...  
Get busy living... or get busy dying...

Andy Dufrasne (Tim Robbins) in Shawshank Redemption (1994)


Parece simples e sem grande ciência, mas é das frases mais poderosas que alguma vez ouvi! 

Digo isto ciente de que não preciso de viver muitos anos para saber que assim permanecerá, como a frase que mais me marcou. Aliás, todo o filme (Shawshank Redemption) é uma obra intemporal que carrego no coração pelas lições, pela força e pelo amor que me transmite... É inquestionavelmente o meu filme favorito, destacado numa lista de outros quantos que não consigo organizar hierarquicamente... but rest assured em relação a este não restam dúvidas: É o meu Nº1!



É um filme que vi várias vezes sem nunca me cansar... É um filme ao qual não digo não e que incentivo todos a verem... É um filme completamente flawless!
A começar pelo material de origem, proveniente da cabeça do genial Stephen King, passando pelas mãos de quem o adaptou para a grande tela... o Sr. Frank Darabount, realizador este que já foi objecto de estudo da minha parte num trabalho de cinema (uma forma de homenagem a alguém que tanto admiro pelos seus trabalhos). Segue-se o elenco fora de série (liderado por Tim Robbins e Morgan Freeman, secundado por actores como Bob Gunton, William Sadler, James Whitmore, among others) e a belíssima banda-sonora (que brevemente merecerá o seu próprio post) composta por Thomas Newman...

Estes são os aspectos mais "importantes" de salientar, mas a verdade é que existem outros quantos que são demasiados para aqui serem enumerados (localização, fotografia, mil e uma coisas inerentes aos produtores and so on... que estão excepcionais)...

Não surgiu do nada este post... A frase com a qual começo a escrever tem estado presente principalmente nestes últimos tempos tornando susceptível a que venha falar do filme (é evidente que estão intrinsecamente ligados). Não quero com isto passar um atestado de sensibilidade à minha pessoa, nem obter o parecer de outros relativamente à qualidade do filme ou ao que este lhes evoca num âmbito mais pessoal. Quero acima de tudo promover a obra ou a discussão sobre a mesma (mas!) se assim o quiserem. Mais que tudo quero provocar alguma reflexão que certamente será mais fluída caso conheçam o filme.

Escrever sobre estes temas por vezes corremos o risco de um grande grau de exposição... Sei disso desde o primeiro momento em que assumi a escrita deste meu espaço. 

Não me importo! Não vivo no medo nem com vergonha do que fiz, do que quero fazer ou a da forma exponho o que sinto (embora tenha a capacidade de impor determinados limites)... e isso é fruto da vida plena que tenho levado, com o apoio incondicional de aqueles that got my back! Acreditem ou não (e correndo o risco de parecer corny) asseguro-vos que que toda esta atitude é também consequência causa/efeito desta magnifica longa-metragem, capaz de inspirar os mais desinspirados!

Fica aqui a minha manifestação sobre algo que considero ser uma "life changing experience"...

Uma obra-de-arte de fino trato...

Desconcertante... brutalmente forte... e monumental... como nunca vi antes!



4 comentários:

Anônimo disse...

A parte mais genial do filme, é no momento em que o Red sai da prisão, com uma música de fundo perfeita.

D.M disse...

Para mim é dificil escolher um único momento, mas esse é sem dúvida um dos pontos altos do filme! A banda-sonora é inacreditável!

Joaquim Vasconcelos disse...

Já vi este filme umas 20 vezes mas nunca tinha visto o trailer. Provavelmente é reflexo da pouca exposição mediática que o filme teve tornando-o provavelmente no melhor filme da história do cinema a não ter sucesso a nível de bilheteira. Filme obrigatório na prateleira de qualquer cinéfilo.

D.M disse...

não é bem o caso! Existem vários filmes que foram um fracasso de bilheteira mas que hoje são referenciados como obras intemporais. Exemplos disso são o Citizen Kane ou It's a Wonderful Life (só para mencionar alguns!)
Este filme compensou mais tarde nos alugueres e venda de dvds, aí sendo o maior fenómeno na história do cinema! Eles falam sobre isso (e muito mais) nos extras da edição especial que eu comprei! Vale apena!