quarta-feira, outubro 27, 2010

The Color Purple (1985)




The Color Purple (1985) é a adaptação de uma obra literária com o mesmo nome, escrita por Alice Walker. Não posso dizer que conhecia o livro ou o seu impacto na sociedade e "mundo das letras", pois apenas ouvira falar deste enquanto filme. 

Sabia que contava com Whoopi Goldberg, Oprah Winfrey e Danny Glover . Sabia também que abordava o racismo numa época que não sabia bem remeter (parvo e mal informado como sou pensei para mim: "tempo dos escravos") e que tinha sido uma obra muito bem recebida pela critica. Sabia também que contava com a assinatura de um grande mestre do cinema, Steven Spielberg, numa altura onde este dava os primeiros passos fora do mundo dos blockbusters, por onde teve sucesso durante muitos anos. 
O filme encontrava-se à muito pendente e tendo eu mais que tempo livre hoje, decidi dar as 2h30m de atenção! E como valeu a pena!

O filme toma lugar no sul dos Estados Unidos entre o inicio até metade do século XX e conta a história de Celie, uma mulher afro-americana. Desde cedo a vida lhe foi madrasta... Acompanhamos a sua transformação de criança para mulher e pelo caminho testemunhamos os variadíssimos eventos que ocorrem. O parto dos seus filhos e eventual separação destes, o seu casamento com um homem odioso (Danny Glover), a busca incessante pela irmã de que foi forçosamente separada, a chegada de duas personagens femininas que para sempre mudariam a sua vida, entre outros acontecimentos...
Ao longo dos anos (traduzidos na acção muito bem delineada pelo Sr. Spielberg) denotamos a presença vincada de pobreza, racismo e sexismo. Confesso que sempre que pensava no "negro oprimido", imaginava um homem branco como principal responsável. Tão cego fiquei pelos habituais estereótipos que a "História" criou, que já não imaginava ver este tipo de tratamento entre pessoas que sempre foram tomadas em conta como uma unidade, principalmente em tempos de inserção e afirmação na sociedade norte-americana. Acredito também que o filme trata sobre a emancipação da mulher (principalmente a negra) e também redenção! Mantenham em mente que não estamos só a acompanhar a evolução das personagens, mas também a evolução histórica do País, e como tal, deu-me a mim particular interesse ver uma personagem como Sofia, mulher com ideais, muita raça e coragem, maravilhosamente personificada por Oprah Winfrey, num papel que lhe valeu a nomeação para Oscar. E já que mencionei Danny Glover e Oprah, não posso deixar de mencionar Whoopi Goldberg enquanto Celie (de jovem a adulta) e Margaret Avery no papel de Shug Avery. Ambas reconhecidas com uma nomeação por parte da Academia, são do melhor que esta longa-metragem têm para oferecer. Principalmente Whoopi por quem tenho muito respeito. Durante anos tomei-a principalmente por comediante, pois nunca tivera oportunidade de ver Ghost (1990) e The Color Purple, mas sempre ouvira falar das suas capacidades enquanto actriz dramática. 

Há momentos que marcam (muitos dos quais acompanhados pela banda-sonora orquestrada pelo lendário Quincy Jones) e que gostaria de vos contar, juntamente com a minha interpretação... mas por não querer adiantar informação em demasia, peço-vos que vejam este filme. Tenho noção que 90% dos casos de posts sobre filmes que aqui escrevo é para incentivar a sua visualização, contudo, não tenho problemas em afirmar que este é um colosso na minha lista de filmes predilectos. Certo que escrevo isto "ainda a quente", mas estou certo que só fico "assim altamente impressionado" quando se trata mesmo de um filme deste calibre. Tenho o cuidado em não confundir um "filme "marcante" com um "bom filme"... mas aqui trata-se de ambos! É uma espécie de conto-de-fadas, que dentro dos seus momentos de tristeza, horror e sofrimento, oferece amor que a ninguém é indiferente! Acima de tudo, é mesmo sobre isso que o filme trata... a vida, amor, compaixão, sacrifício e luta!

Sou um miúdo de "coração mole", mas garanto que é preciso ser-se de "pedra" para não se deixar tocar por esta obra-prima... Fui completamente "atropelado por uma avalanche" de diferentes sentimentos e sensações!
 Peço-vos que se ponham à experiência!


Nenhum comentário: