terça-feira, janeiro 18, 2011

The Killer Inside Me (2010)



No mínimo desconcertante!
Mesmo eu que já estava ligeiramente preparado para o que se seguia com este filme, foi-me complicado acompanhar algumas cenas sem me sentir desconfortável. Pudera! A violência exercida durante algumas partes, chocam qualquer um... ainda para mais quando envolvem Jessica Alba e Kate Hudson. Mas calma! Já me estou a adiantar...

The Killer Inside Me (2010) é um filme realizado por Michael Winterbottom, que vai usar como fonte de inspiração uma obra com o mesmo nome, de Jim Thompson.

O filme anda em torno do Xerife Lou Ford, representado de forma notória por Casey Affleck.

Este agente e representante da lei numa pequena cidade do Texas, apresenta uma imagem composta e apaziguada, pressupondo que são características que espelham um homem sério e honesto, de acordo com aquilo que deveria ser alguém na sua linha de trabalho (digo eu). No entanto, por debaixo dessa camada externa encontra-se um lado perturbado que lentamente começa a entrar em conflito com a ideia que o filme começa por nos oferecer desta personagem, logo no inicio. Como podem calcular, o titulo diz muito sobre o filme e facilmente podemos deduzir que existe uma faceta negra do Xerife desempenhado por Affleck, fruto de alguns antecedentes que prefiro não mencionar, de forma a evitar spoilers! Um pouco como Christian Bale em American Phsyco (2000), Affleck vai até ao limite para encarnar um autêntico psicopata, que se manifesta sobre as suas vitimas de forma inesperada, sendo portanto uma personagem imprevisível capaz de criar momentos altos de tensão!

É ilustrado de forma vigorosa um nível de violência física e psicológica como há muito não via, no entanto, quero frisar que não é o pior em termos de "força gráfica" que já vi... Mas para todos os efeitos a sua visualização não deixa de ser uma tarefa difícil!

Como pontos fortes desta longa-metragem saliento (novamente) a interpretação de Casey Afleck e a forma ímpar com que Winterbottom executa cada plano. Adorei a vertente estética da sua realização e o proveito que fez de um elenco incrível... onde temos as já mencionadas Alba e Hudson, Elias Koteas (actor  - super talentoso - que faz milhares de participações secundárias), Ned Beatty ou, numa breve aparição, Bill Pullman (entre outros).

Um comentário:

Joana disse...

Fiquei curiosa para vê-lo!