sábado, janeiro 08, 2011

Tom's Diner



Nunca, mas NUNCA me hei de esquecer como esta música me chegou aos ouvidos! Não me lembro da altura ao certo, mas era um puto com pouca percepção do que eu era ou queria ser (como qualquer outra criança penso), mas já com os meus "grandes" interesses bem definidos. Cinema e música eram claramente os meus campos... e no que toca este tema, estão interligados.

Estávamos ainda na era VHS, e eu a ver um filme que não me recordo, dei por mim ficar "colado" num preview trailer de um filme chamado Untamed Heart (1993) com o Christian Slater e a Marisa Tomei. 
Recordo-me plenamente não ter noção do titulo original (para mim era Coração Rebelde)...
Recordo-me de ficar intrigado com a tensão sexual que havia entre os dois protagonistas, isto apesar de olhar para o Christian Slater como se ele fosse um bocado estranho (talvez por a personagem dele nesse filme ser meio misteriosa e aparentemente problemática).
E recordo-me (finalmente o ponto que interessa) da música de fundo desse mesmo trailer... Tom's Diner da Suzanne Vega!

Não havia forma de eu saber o nome, nem do tema nem da cantora, mas para sempre a batida e aquele inicio me ficou marcado... e enquanto crescia, agora na era mp3, e já possuía conhecimentos que me tornavam um usuário independente do computador, foi só uma questão de tempo até chegar a essa grande música, muito vincada na minha infância.

Curiosamente, nunca cheguei a ver esse filme (embora continue a me sentir altamente intrigado)!

Agora, heis algo que desconhecia: 

A versão original de Tom's Diner era acappella (versão original aqui), não havendo portanto aquela batida ou inicio que para mim define a música. A versão que me foi dada a conhecer era um remix feito pelo duo britânico conhecido como DNA. Esse remix tornou-se tão ou mais popular que a versão acappella, sendo considerado um tema old-school e clássico de culto na cultura pop e dance.

Quem é que já não ouviu esta grande malha?



I am sitting
In the morning
At the diner
On the corner

I am waiting

At the counter
For the man
To pour the coffee

And he fills it

Only halfway
And before
I even argue

He is looking

Out the window
At somebody
Coming in

"It is always

Nice to see you"
Says the man
Behind the counter

To the woman

Who has come in
She is shaking
Her umbrella

And I look

The other way
As they are kissing
Their hellos

I'm pretending

Not to see them
Instead
I pour the milk

I open

Up the paper
There's a story
Of an actor

Who had died

While he was drinking
It was no one
I had heard of

And I'm turning

To the horoscope
And looking
For the funnies

When I'm feeling

Someone watching me
And so
I raise my head

There's a woman

On the outside
Looking inside
Does she see me?

No she does not

Really see me
Cause she sees
Her own reflection

And I'm trying

Not to notice
That she's hitching
Up her skirt

And while she's

Straightening her stockings
Her hair
Has gotten wet

Oh, this rain

It will continue
Through the morning
As I'm listening

To the bells

Of the cathedral
I am thinking
Of your voice...

And of the midnight picnic

Once upon a time
Before the rain began...

I finish up my coffee

It's time to catch the train


Nenhum comentário: