sexta-feira, abril 09, 2010

Erros fatais !

Quero aproveitar esta capa do jornal Record, que na minha opinião em três palavras resume o que se passou, para apontar o dedo de forma furiosa, e pela primeira vez esta época, ao treinador Jorge Jesus. Não querendo parecer ingrato, porque de facto devemos muito ao mister por todo o trabalho feito na equipa, venho por este meio acusar Jesus de ser o principal responsável pela derrota de ontem frente ao "acessivel" Liverpool. Faço isto com algum peso na consciência visto que, como disse, o treinador é na minha óptica o principal responsável por uma das melhores épocas desportivas da história do nosso "Glorioso", tendo ele montado um esquema formidável onde cada jogador encaixa na perfeição ao pretendido. Recuperou jogadores que atingiram este ano picos de forma excelentes. Casos de David Luiz (que regressa finalmente - e com regularidade - ao eixo da defesa), Aimar, Carlos Martins, Di Maria, Coentrão e até mesmo Cardozo (que o ano passado foi muito mal aproveitado por Quique). Porém, ontem Jesus estreou-se numa coisa que lhe vou chamar "O Capítulo: Inventar". Ontem começou logo por inventar de uma maneira brutal, a um ponto que se tornava desde logo perceptivel que o jogo não ia correr bem.
A parelha Sidnei/Luisão é logo um erro quando temos como adversário um dos pontas-de-lança mais letais do mundo... o inevitável Fernando Torres (que sem grande surpresa acabou por fazer o gosto ao pé). Ambos os centrais do Benfica são grandes, lentos e "duros de rins". Depois não têm rotina de jogo visto que praticamente toda a época jogou sempre o David ao lado do Luisão. Depois... como se a dupla já não fosse um erro grave, ainda temos de ter em conta os seguintes factores: Luisão encontrava-se condicionado... tanto que já se comentava a eventual ausência frente à Naval. No entanto, fez esse jogo e partimos do suposto que para o Liverpool estaria em condições. Claramente não estava. Notou-se de forma evidente e consequência disso vai ser uma provável lacuna frente ao Sporting (portanto, o jogo contra a Naval custou-nos caro, visto que podiamos ter dado descanso ao capitão frente a uma equipa teoricamente mais acessivel que o Liverpool e Sporting)! Aliado a isto, o Sidnei que já não fazia um jogo a titular à séculos, apresenta-se em campo, gordo, lento e completamente desconcentrado, frente à equipa mais forte dos restantes adversários ainda em prova na Liga Europa. Como?! Porque raio haveria de ser concedida uma oportunidade ao Sidnei de ser titular num jogo importantissimo, ainda para mais frente ao "Torres e companhia"? Por fim, esta dupla de centrais acabou por trazer outras implicações ao jogo. David Luiz foi passado para a esquerda! Jogar com um central adaptado, tendo no banco melhores argumentos, foi um disparate abismal... e viu-se bem. Para começar o "miudo" perdeu milhares de lances defensivamente! No ataque mal se via, visto que não consegue explorar o lado esquerdo de forma própria, acabando sempre por flectir para a zona central. Isto tornou os nossos ataques previsiveis, faceis de controlar e com zero perigo. Como se não bastasse, além de o factor ofensivo não "fluir" como devia, ainda perdeu bolas que comprometeram a equipa (4º golo é fruto disso). E mais!!! Di Maria, onde estava ele ? Pouco se viu do astro argentino... mas acham que vou "cair em cima dele"? Não. Porque no fundo, pouca culpa têm. Foi-lhe concedido muito pouco apoio naquele lado esquerdo, tornando a vida muito mais complicada para o nosso extremo. Ainda pensei para mim alguns dos motivos que levaram Jesus a tomar estas opções. Talvez à semelhança do que Koeman fez com o Benfica nas competições europeias, optou por jogar com centrais adaptados de forma a dar mais altura e musculo à defesa, bem como proporcionar maior "poder de fogo" nos lances de bola parada. Ok! Até faz sentido! Mas tornou-se evidente ao fim de algum tempo, que esta estratégia não ia surtir efeito... mas em vez de o treinador desfazer o erro numa altura onde já estavamos a perder 2-0... não! Manteve este esquema até aos 80 e tal minutos de jogo, quando já tudo estava decidido com 4-1 no marcador! Era óbvio que o Coentrão tinha de entrar. Não só por ser mais rápido e "raçudo", mas também porque proporcionava logo um equilibrio no nosso balanço ofensivo. Enfim... alguma coisa aconteceu na cabeça de Jesus para deixar o Benfica a ser "comido" sistematicamente em velocidade pelo centro do terreno (reparem que 3 dos golos sofridos foram assim). Não quero apenas responsabilizar o treinador e os jogadores que actuaram no último terço do campo (defensivo) porque naturalmente a equipa não esteve em bom plano (a começar pelo Júlio César que dá inicio ao descalabro com uma tremenda "fifia"), mas acho que podemos todos concordar que tendo alguns elementos pouco enquadrados no jogo e em sub-rendimento, é natural que tal se venha a reflectir no resto da equipa.

Conclusão: Ontem o Benfica começou a perder o jogo, ainda este não tinha começado. Foram "tiros nos pés" uns atrás dos outros.

Mais tristes e furiosos do que eu, de ver o Benfica ser eliminado ficaram os jogadores, treinadores e staff certamente, daí também agora esta última palavra de apreço. O desaire de ontem não apaga a óptima campanha europeia que realizámos este ano, nem o campeonato fora-de-série até ao momento... falta pouco para (se tudo correr bem) podermos festajar...

Nós só queremos o Benfica campeão !

Nenhum comentário: