sexta-feira, abril 30, 2010

Iron Man 2 (2010)



Não se percebe como é que uma sequela, onde basicamente temos a mesma equipa por detrás do projecto, pode ser tão fraquinha! Iron Man 2 (2010), novamente realizado por Jon Favreu e com um elenco reforçado, é talvez para mim a maior desilução de 2010 até ao momento, no entanto, não se trata de um mau filme. Tal afirmação é justificada com o facto que depois do primeiro, a fasquia para a continuação do que vai ser uma triologia, ser elevadissima. Iron Man foi dos melhores filmes de 2008, superando-se enquanto filme meramente ligado ao mundo Marvel, para uma obra cinematográfica de alto calibre. A visão de Favreu foi apurada e criativa, sem abdicar da linha narrativa imposta pela banda-desenhada, ou seja, sendo-lhe fiel quando muitos produtores e realizadores desviam o "produto/trabalho" do percurso estipulado pelos autores originais. Tal não pareceu tão vincado no segundo. Sim, foram dados indicios para o alcoolismo de Tony Stark, embora de forma parva sem qualquer nexo (quase como comic relief completamente desmedido) contrariando o que é descrito na BD como uma faceta mais escura e problemática do nosso protagonista (ver Demon in a Bottle)... e sim, tivemos um vilão (Whiplash) dentro do universo do Iron Man, forçosamente representado por Mickey Rourke. Obstante disso, mesmo tendo essas (poucas) referências autênticas, a história e personagens foram mal manuseadas.Um outro acréscimo foi a introdução de outro antagonista, representado por Sam Rockwell,  super actor de quem esperava algo mais. É certo que a sua personagem devia estar restringida a uma série de limitações e pedidos da direcção de actores, mas mesmo assim... é normal que as pessoas conscientes do seu verdadeiro valor (demonstrado por exemplo em Moon) sejam um pouco mais exigentes. Robert Downey Jr. tem diferentes "picos de rendimento", mas uma coisa é certa. Não é fantástico (no sentido mais lato da palavra) como demonstrou em tempos no predecessor de Iron Man 2. Faltou-lhe muitas vezes o carisma ou o diálogo para fazer brilhar um dos homens mais arrogantes, pomposos, complexos mas extremamente hilariantes do mundo ficcional da Marvel. Fiquei desiludido principalmente com este último que já revelou inumeras vezes ser capaz de carregar filmes às costas, mas aqui não se tratou do caso. Reforço novamente a ideia de que o filme não é mau, nem a representação de Downey Jr., mas ficou muito aquém das expectativas produzidas pelo impacto fantástico do primeiro filme. Até no campo da banda sonora providenciada pelos AC/DC parece ter passado ao lado. No trailer pelo menos parecia mais integrada, fundindo-se na perfeição com as cenas demonstradas, ao contrário do filme que tão pouco revela acerto.
.
Por fim, quero deixar uma nota (extremamente) positiva para a inclusão de Scarlett Johansson... não pela sua representação/personagem mas pela sua presença... É de cortar a respiração sempre que entra em cena... enfim, um "regalo" para os olhos para compensar o fracasso...

Ahhh... e aconselho-vos a ver os créditos finais até ao fim, pois será feita uma revelação ligada aos The Avengers, no seguimento dos vários filmes que se seguem para os próximos dois/três anos (Captain America, Thor, etc.)


Nenhum comentário: